05 outubro 2005

Hi, Larry! (2)

— Não vai sair da frente dessa televisão, senhor?
— Hum, hum…
— Vai?! ... vai mesmo!?
— Hum, hum…
— Ah, pois, nem ouve! não está farto de estar aí sentado? a olhar para a televisão? a ver esse careca a azucrinar os outros…
— Larry David, Groucho, e alegra-me saber que vai deitando o olho. E não é azucrinar… Isto é irresistível.
— Deve ser, caramba. Vejo-o aí há horas.
—Há por exemplo um cego, que vem de um episódio extraordinário da primeira série, e está convencido de que namora uma modelo. Claro que o Larry não resiste, e lá lhe dá a entender que a mulher é um estafermo… Depois tem que lhe arranjar outra namorada e aspirar-lhe a casa. Se quiser empresto-lhe a caixa. Mas agora pire-se daqui, vá lá. Ainda me faltam dois episódios e não tenho muito tempo.
— Bela crise, não há dúvida. Sabe que houve quem acreditasse?
— Chiu, ponha-se ao fresco, vá lá.