12 julho 2005

Reunião de condomínio (informal)

MP — Temos outra proposta de prova de acesso de novos membros. Se for tão boa como as anteriores, ainda não é hoje que resolvemos isto.
FMO — Que rica apresentação! com esse cepticismo é como se a proposta já estivesse recusada. Bom, proponho que os candidatos façam prova de que leram todos os artigos que o Joaquim Manuel Magalhães tem publicado no Expresso.
LQ — E fazem prova como?
FMO — Aí é que está a prova, meu caro. Tiramos um à sorte, e o candidato é interrogado sobre o respectivo conteúdo. Para a coisa não ficar muito fácil, podemos pedir-lhe, no final, que recite palavra por palavra um dos parágrafos.
OMS — Melhor dois parágrafos. E seguidos, para que não nos acusem de os desinserir do contexto.
PS — Ainda acho demasiado fácil: toda a gente lê aqueles artigos e anda com eles no coração.
GR — No coração, não direi, mas perto. Há dias vi um tipo no Metro que os trazia, miniaturizados, num escapulário. Por acaso até era bonito.
ABB – O escapulário ou o tipo?
GR — O escapulário, o tipo era horrível. Mas ia a lê-los, muito concentrado. Foi isso que me chamou a atenção. Nunca tinha visto.
MP — Bom, está calor, e já se vê que ainda não é desta, como eu previa.

(A reunião foi suspensa. Barulho de cadeiras e chávenas. FMO ficou sozinho na sala. A pensar.)